DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL

Redes e Articulações

Todo o trabalho do Projeto Saúde e Alegria (PSA) é realizado de forma participativa, juntamente com atores sociais tanto que atuam tanto local e regionalmente, quanto em âmbito nacional e internacional.

Uma das formas de garantir a participação das comunidades é o apoio a suas representações, seja na implementação dos projetos, seja na defesa de direitos sociais coletivos. Assim, o PSA articula-se com associações locais e organizações de base parceiras, que são empoderadas por meio de seminários, oficinas, assessorias, participação em eventos e conselhos diversos.

Exemplo disso é o Fórum Floresta Ativa, formado pelas organizações de base parceiras. Com mecanismos de consulta e gestão participativa, o Fórum faz diagnóstico para facilitar o acompanhamento continuado dos resultados e o planejamento conjunto das ações. Dessa forma, as comunidades são apoiadas na gestão dos processos de desenvolvimento territorial, no melhor exercício da cidadania e em articulações com outros atores (sobretudo instâncias ligadas às políticas públicas). Já a articulação com órgãos públicos se dá por meio de convênios e parcerias diversas, que contribuem não só para a implementação dos projetos do PSA, como também para a adequação de suas políticas públicas voltadas às comunidades.

Em sentido mais amplo, o PSA articula-se com redes de ONGs, movimento sociais e grupos de trabalho intersetoriais (incluindo órgãos públicos) a fim de fazer frente aos principais desafios do país e, principalmente, da região Amazônica, colaborando na construção de soluções de cunho social, econômico e ambiental e no aprimoramento das políticas públicas.

Tipo de Organização Organizações Parceiras Descrição
Organizações Socioprodutivas de Base Associação dos Produtores Rurais Extrativistas da Margem Esquerda do Tapajós (APRUSPEBRAS). Organização intercomunitária habilitada pelo IBAMA e SEMA em 2008 como administradora de projetos de reposição florestal, parceira na gestão produtiva do CEFA na Resex.
Cooperativa Mista da Floresta Nacional do Tapajós (COOMFLONA) Cooperativa fundada em 2005 para executar projetos de Manejo Florestal Comunitário (MFC) de Uso Múltiplo. Conta com mais de 200 cooperados de 23 comunidades e é parceira na expansão das cadeias produtivas não madeireiras na Flona Tapajós.
Cooperativa de Turismo e Artesanato da Floresta (TURIARTE) Fundada em 2015, tem mais de 70 cooperados (54 mulheres) de localidades da Resex Tapajós-Arapiuns e do PAE Lago Grande, com a missão de promover a melhoria da qualidade de vida e a autonomia das comunidades da floresta.
Cooperativa dos Trabalhadores Agroextrativistas do Oeste do Pará (ACOSPER) Fundada em 1994 com mais de 200 associados, inicialmente era focada no mercado da borracha. Atualmente, volta-se a produtos agroecológicos e é parceira na estruturação e gestão do EcoCentro, em Santarém.
Casas Familiares Rurais (CFRs) de Santarém, Belterra e outras a serem articuladas São estabelecimentos de ensino médio que oferecem, por meio da pedagogia da alternância, formação profissionalizante como técnico agrícola. São parceiras do PSA na mobilização de alunos e recepção de estagiários no CEFA para graduação.
Organizações de Base Territorial / Regional Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTRs) dos municípios de Santarém e Belterra, e outros a serem articulados. A parceria com essas organizações visa a promover a gestão participativa dos respectivos Territórios.
Organização das Associações da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns (TAPAJOARA)
Federação das Organizações e Comunidades Tradicionais da Floresta Nacional do Tapajós (FCFT)
Federação das Associações de Moradores e Comunidades do Assentamento Agroextrativista da Gleba Lago Grande (FEAGLE)
Outras organizações (públicas, privadas e sociais) Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) Parceiro na execução do Floresta Ativa, é o órgão do Governo Federal responsável pelas Unidades de Conservação no Brasil.
Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) Sediada em Santarém, é parceira potencial para atividades de ensino, pesquisa e extensão rural, com destaque para o barco-hospital Abaré e Vadeias Florestais.
Natura Empresa de cosméticos que assessora o Floresta Ativa no fortalecimento das cadeias produtivas de óleos florestais.
Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) Associação civil sem fins lucrativos fundada em 1995, é parceira do PSA na integração de estratégias e articulação com os projetos produtivos na região da Calha Norte junto aos povos quilombolas.
Redes e Articulações nacionais e internacionais Aliança pela Restauração na Amazônia Pacto pela conservação na Amazônia Brasileira que congrega 29 organizações da sociedade civil e sete órgãos governamentais, com o objetivo de catalisar e amplificar a agenda de restauração na Amazônia.
Aliança Água + Acesso Lançado em 2017, o projeto Água + Acesso é uma iniciativa de impacto coletivo empreendida por uma aliança inédita formada por empresas, institutos e organizações da sociedade civil que atuam e cooperam para ampliar o acesso à água segura e de forma sustentável em áreas e comunidades rurais de todo o Brasil.
Rede Engajamundo Formação e integração de jovens da Amazônia em uma rede nacional de ativismo juvenil.
Pacto pela Democracia Plataforma de ação conjunta em defesa da construção democrática no Brasil. É uma iniciativa da sociedade civil brasileira voltada à defesa e ao aprimoramento da vida política e democrática no país.
Rede de Educação Ambiental e Popular (REAPOP) Coletivo de Organizações da Sociedade Civil para promover estratégias de educação ambiental.
Articulação Encontro das Águas Aliança pelo "Tapajós Que Queremos", reúne organizações, movimentos e etnias das regiões de Teles Pires, Juruena e Alto, Médio e Baixo Tapajós.
Grupo de Trabalho Amazônico (GTA) Composto por mais de 600 ONGs da Amazônia, vem fortalecendo a participação da sociedade civil na formulação de propostas, projetos e políticas públicas para o desenvolvimento sustentável da região.
Fórum Brasileiro de Organizações Não Governamentais e Movimentos Sociais para o Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (FBOMS) Reúne entidades da sociedade civil de todo o Brasil para articulação de ações em torno da questão do meio ambiente e do diálogo com políticas públicas e de Estado.
Fórum da Amazônia Sustentável (FAS) Instância multissetorial que reúne entidades ambientalistas, ONGs, movimentos sociais, institutos de pesquisa e empresas da iniciativa privada, criando espaços de diálogos para a construção de consensos em torno de políticas, propostas e estratégias para o desenvolvimento sustentável da Amazônia.
Redes Ashoka, Avina e Schwab Redes mundiais de empreendedores sociais formadas por indivíduos com destaque na liderança de suas instituições, sobretudo pelo empreendedorismo social e caráter inovador das experiências. A Coordenação do PSA é fellow Ashoka e Schwab, e líder Avina.
Clinton Global Initiative (CGI) Rede mundial de iniciativas selecionadas de cunho social, ambiental, econômico e/ou cultural, que formalizam compromissos em torno de ações de inclusão e solidárias ao redor do mundo.
Rede Nacional de Organizações Não Governamentais de Energias Renováveis (RENOVE) Congrega entidades da sociedade civil dedicadas à promoção e inclusão das energias renováveis na agenda política do Brasil, contribuindo com o Ministério das Minas e Energia na elaboração do Programa Energético do País e difundindo a utilização de fontes “limpas”, testando aplicações e proporcionando o acesso a comunidades isoladas.
Rede Brasileira de Turismo Solidário e Comunitário (TURISOL) A rede é composta por organizações que se articularam para fortalecer o turismo comunitário no Brasil, com projetos presentes em 61 municípios de oito estados brasileiros.
Conselho Deliberativo da Reserva Extrativista (Resex) Tapajós-Arapiuns e Conselho Consultivo da Floresta Nacional do Tapajós (Flona) Compostos por representantes das comunidades residentes, entidades governamentais e ONGs da região, vêm contribuindo para a gestão participativa, a implementação e a consolidação de projetos e planos de manejo junto às respectivas Unidades de Conservação.
Conselhos Municipais de Santarém e Belterra (de Saúde; de Assistência Social; dos Direitos da Criança e do Adolescente; de Turismo e Meio Ambiente) Congregam entidades governamentais, não governamentais, privadas e de ensino que atuam junto aos municípios acompanhar a execução das políticas públicas locais nas respectivas áreas temáticas.
Conheça também

Ordenamento Territorial

Ainda um grande desafio na Amazônia devido às pressões econômicas e à deficiência de políticas públicas adequadas, o ordenamento territorial é imprescindível para a conservação da floresta e para o desenvolvimento sustentável das comunidades que a habitam. Além dos projetos socioeconômicos e culturais voltados às populações locais, o PSA atua para consolidar as Unidades de Conservação no oeste paraense, apoiar territórios e grupos sociais ameaçados e defender os direitos dessas populações.

Gestão Comunitária

Apoiando a elaboração de planos de desenvolvimento sustentável, assessorando organizações comunitárias e fomentando a gestão participativa, o PSA garante que as comunidades deem continuidade aos projetos após sua implantação e, assim, contribuam para modelos de desenvolvimento comunitário em territórios sustentáveis.

Disseminação e Replicação de Experiências

Do oeste do Pará para a Amazônia, da Amazônia para o Brasil, do Brasil para o mundo. Os participantes dos projetos do PSA tornam-se multiplicadores dessas experiências em outras comunidades da região amazônica. Além disso, o PSA sistematiza as soluções de forma que possam ser implementadas adequadamente em outros locais. É o caso do barco-hospital Abaré, que fundamentou a política pública de Saúde da Família Fluvial, e das tecnologias sociais de acesso a água e saneamento, que têm sido utilizadas por programas governamentais em parceria com outras organizações sociais.
2 dias atrás
2 dias atrás
3 dias atrás
Conheça o canal do
Projeto saúde & alegria
Do NOT follow this link or you will be banned from the site! Rolar para cima