Jornalismo comunitário é tema de aula da Escola de Redes da Amazônia 

Novo encontro de formação realizado no último sábado (06), reuniu os vinte e um estudantes dos três estados da Amazônia Legal (Acre, Amazonas e Pará)

O novo encontro de formação da Escola de Redes Comunitárias da Amazônia foi conduzido pela professora Rosa Rodrigues, jornalista e doutoranda em comunicação pela UFPA. A oficina de jornalismo comunitário e ambiental abordou conceitos teóricos e práticos sobre os temas discutidos. “Nesse primeiro encontro fizemos uma troca de conhecimento, dialogamos a partir de reflexões teóricas a respeito do sentido de comunidade, de meio ambiente e de jornalismo que nós desenvolvemos” – esclareceu Rodrigues.

A aula destacou que a comunicação comunitária é apresentada como uma alternativa de comunicação que privilegia os anseios populares no que tange aos aspectos sociais da vida cultural e econômica da comunidade. Além disso, um dos pontos primordiais dessa comunicação são as relações de pertencimento dos seus membros que se identificam nas relações comunicativas.

Um dos princípios do jornalismo comunitário é a produção de conhecimento a partir da comunidade, produzido pela e para a comunidade. Esse sentimento de pertencimento foi o que mais chamou a atenção da Raquel Batista, integrante do Grupo Formigueiro e aluna da escola: “foi muito bom. A aula abrangeu os aspectos sobre conhecimento e cultura para que a gente possa fazer a nossa história. Falamos sobre autenticidade, que é muito importante que nós possamos falar a verdade do que vivemos. Que possamos transferir a história” – contou.

A partir da reflexão, os estudantes foram estimulados a pensar sobre suas prioridades no contexto da comunicação local, ressaltando a diferença entre o jornalismo de mercado e comunitário. “Esclarecemos o papel do jornalismo ambiental no sentido do conjunto de informações e ideias que ele representa. Fizemos algumas reflexões sobre as funções: pedagógica, informativa e política. Foi uma grande experiência, pelo conhecimento que pudemos ter da realidade que a Escola de Redes Comunitárias da Amazônia desenvolve. Nós externamos a nossa satisfação e alegria de poder fazer parte desse projeto, dando uma parcela de contribuição para esses jovens comunicadores” – contou Rodrigues.

O encontro segue no próximo sábado (13), quando os alunos apresentarão uma pauta ambiental da sua comunidade, produzida a partir das orientações prévias e leituras sobre jornalismo comunitário, democracia, identidades visuais e coletivas e jornalismo ambiental.

Escola de Redes Comunitárias da Amazônia

A Escola é o pilar de formação e treinamento do projeto “Conectando os Desconectados” promovido pelas organizações APC e Rhizomatica e executada no Brasil pelo Projeto Saúde e Alegria. A iniciativa busca conectar comunidades desconectadas por meio do desenvolvimento de modelos, capacidades e formas de sustentabilidade para populações com foco em assistência técnica, capacitação, assessoria para advocacy e mobilização comunitária.

O cronograma de aulas está distribuído entre os meses de junho e dezembro de 2022. Serão contemplados os temas: comunicação comunitária; jornalismo comunitário e ambiental; protocolos e autonomia comunicacional; segurança de dados; inovação tecnológica e empreendedorismo comunicacional; midiativismo da floresta em pé; história dos povos indígenas e afro-descendentes na Amazônia; total da área diversificada (eletivas e optativas); oficina de podcast/audacity; oficina de transmissor de rádio; oficina de mídias digitais; workshop de rádio comunitária/webradio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Projeto Saúde & Alegria
Rolar para cima