Autogestão da água: Moradores da Vila Amazonas participam de capacitação do Cisterna

Famílias beneficiadas pelas tecnologias sociais de acesso à água estão participando de cursos de técnicas de gestão e gerenciamento comunitário. Após capacitação, obras iniciam na comunidade;

Moradores da Vila Amazonas, assim como todos os beneficiados pelo programa Cisterna de captação de água estão sendo capacitados para realizar manutenções nas próprias tecnologias. A intenção é promover o conhecimento para que os beneficiários do programa tenham autonomia para manter os sistemas domiciliares e saibam como resolver eventuais manutenções nas tecnologias.

Foto: Ana Daiane/PSA.

A técnica segue a exigência do Programa Cisterna que prevê além das construções, realizações de cursos voltados à capacitação para o uso da água sem contaminação e manutenção dos sistemas. “A capacitação tem duas etapas nesse momento: gestão da água (cuidados com a saúde) e gerenciamento comunitário (gestão do microssistema) com 16h cada módulo. É um processo autogestionário onde a comunidade é quem vai gerir o microssistema e pra isso precisa ter essa qualificação” – explicou a coordenadora de desenvolvimento comunitário da Somecdh, Michele Monteiro.

Na Vila Amazonas as famílias estão na fase inicial com realização de cadastro. Serão 49 famílias beneficiadas e que participam desse processo de qualificação onde aprendem mais sobre o programa, a maneira de cuidar dos sistemas e gerenciá-los após entrega. As obras estão previstas para começar em fevereiro com entrega no mês de abril, contou Monteiro.

Programa Cisterna

Foto: Arquivo Sapopema

Em 2018 foi feita a assinatura do programa que faz parte da chamada pública do Governo Federal por meio do Ministério do Desenvolvimento Social do Programa Nacional ‘Cisterna’ de apoio à captação de água da chuva e outras tecnologias sociais de aceso à água.

O objetivo do Cisterna é realizar ações de captação de água e promover saneamento, uma vez que os moradores dessas áreas contempladas, não possuem sistemas de abastecimento. Em Santarém o programa é coordenado pelo Projeto Saúde e Alegria e executado pelas Organizações Não Governamentais Sapopema, Asproc e Somecdh em diferentes regiões.

Segundo o gestor de negócios sustentáveis do PSA – Davide Pompermaier, na primeira etapa a SOCIEDADE DE MEIO AMBIENTE, EDUCAÇÃO E CIDADANIA – Somecdh executou as construções de 249 Tecnologias no PAE Lago Grande (Comunidades: Membeca, Soledade, Santana, Bom Jardim, Castanhalzinho, Lago Central, Cuipiranga, Piaui, Amari e Maica) 214 já atendidas e 35 em fase final. Nesta segunda etapa: 301 famílias (entre PAE Lago Grande, Resex Tapajós-Arapiuns e TI Maró) serão atendidas até junho de 2020, com beneficiamento de 550 famílias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *