Melhores do Ano: Maria Odila, da Turiarte, é premiada na categoria inspiração

Premiação foi anunciada no Domingão com Huck da TV Globo. Fundadora da Cooperativa de Turismo e Artesanato da Amazônia é referência em empreendedorismo social nas comunidades ribeirinhas de Santarém, PA

A ativista e liderança Maria Odila Godinho, 70, foi premiada no Melhores do Ano da TV Globo. O anúncio foi veiculado neste domingo, 2 de janeiro, no palco do programa Domingão com Huck.

Dona Odila, como é chamada, é da comunidade de Anã, no rio Arapiuns em Santarém, é uma das fundadoras da Turiarte Amazônia. Ela recebeu o prêmio na categoria inspiração – empreendedorismo social.

A homenagem foi realizada diante da plateia composta por celebridades indicadas ao prêmio Melhores do Ano, além dos padrinhos dos projetos, que acompanharam os ativistas no palco.

Caetano Scannavino, coordenador do Projeto Saúde Alegria, parceiro e incentivador da Turiarte desde o princípio, foi o indicador da personalidade e comentou sobre a gratidão em acompanhar e apoiar esse novo momento da associação: “é motivo de orgulho pra Amazônia, e principalmente aqui para Santarém. Eu fico muito feliz de poder ajudar a aumentar a representação dessa região norte. Foi muito emocionante vê-la no palco fazendo aquele discurso, mostrando a força da mulher e exemplo prático, concreto das mulheres para gerar renda e cultura do conhecimento local com a floresta em pé. Deixa uma mensagem e um exemplo, é uma pessoa que inspira”.

Maria Odila e Caetano Scannavino nos estúdios Globo, durante entrega do prêmio Melhores do Ano 2021.

Maria Odila revolucionou o Turismo de Base Comunitária e colaborou para o resgate do artesanato em palha de tucumã como geração de renda nas comunidades do Rio Arapiuns.

A fundação da Turiarte em 2015, com participação dela junto a 70 comunitários de sete comunidades, foi um marco de empreendedorismo social para extrativistas da região amazônica. Hoje a associação conta com 12 comunidades e se expandiu para os rios Tapajós e Amazonas.

Visionária, dona Odila também desenvolve projetos como o MUSA – Mulheres Sonhadoras em Ação – uma iniciativa de mulheres da comunidade de Anã para criação do peixe Tambaqui. Uma parte da produção atende o consumo da própria comunidade e outra é destinada à geração de renda.

Durante a entrega da premiação feita por Luciano Huck, Maria Odila dedicou a premiação a todas as cooperadas e coordenadoras da Turiarte e ao Projeto Saúde e Alegria. Na cerimônia, reforçou em seu discurso a importância da empatia:

“O trabalho que a gente precisa fazer com o ser humano é parar de falar eu e olhar para o meu umbigo. É falar nós, e sentar no lugar de cada pessoa, de cada necessidade, e ajudar naquilo que nós podemos. Dividir o que temos, conhecimento, o nosso tempo, o nosso amor e paciência”.

O Projeto Saúde e Alegria tem trabalhado com Turismo de Base Comunitária desde 1987, quando levava visitantes para comunidades ribeirinhas no Oeste do Pará na perspectiva de geração de renda sustentável.

A partir de 2008, iniciou uma ação sistemática de capacitação e formatação de roteiros no rio Arapiuns.

Entre 2011 e 2013, foram construídas duas pousadas comunitárias, em Atodi e Anã. Os resultados de 2014 foram animadores: o circuito recebeu mais de 300 visitantes, movimentando mais de 300 mil reais.

O resgate da produção artesanal de cestaria em palha de tucumã como fonte de renda complementar, começou no rio Arapiuns em meados dos anos 90. Os grupos organizados comercializaram, em 2014, mais de 34 mil reais em produtos.

A geração de renda sustentável se alinha aos objetivos do Programa Floresta Ativa do PSA, que busca a manutenção da floresta em pé. “Nós precisamos da floresta em pé, é dela que nós tiramos os ingredientes para o artesanato. É dela que tiramos o sustento e a vida” – acrescentou Odila.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria
Rolar para cima