Plano Territorial de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais é articulado em reunião com órgãos em Santarém

Encontro realizado nesta segunda-feira (07) na Sede do Projeto Saúde e Alegria contou com a participação de representantes da RESEX, FLONA, Corpo de Bombeiros, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, ICMBio e Brigada de Alter;

Pensar estratégias para conter as chamas na região amazônica tem sido um esforço coletivo e uma necessidade emergencial. No verão, o clima quente e úmido, favorece a rápida propagação do fogo em áreas de proteção que abrigam uma riqueza de diversidade vegetal e animal.

Apesar da existência do Grupamento de Bombeiros Militares, a grande demanda em toda a região limita o trabalho da entidade que apoia iniciativas do terceiro setor. Segundo o comando da Brigada de Alter do Chão, a grande extensão do município e a necessidade de atendimento em outros municípios do Oeste do Estado é um desafio para o órgão: “O município é muito grande e o 4ºGBM atende diversos municípios. Então eles não tem braço pra atender todo mundo. Eles investem na gente desde o início da Brigada porque sabem da importância de uma pessoa capacitada pra chegar numa situação, entender, dar um primeiro combate se necessário e passar informações corretas pra eles.” – explicou Daniel Govino.

Foto: Ana Daiane/PSA

Ampliar a capacidade de atuação das brigadas existentes, fortalecê-las e apoiar novas iniciativas são atitudes importantes para garantir a chegada rápida em casos de incêndios florestais. Nesta segunda-feira (07) uma reunião foi realizada no PSA com órgãos ligados ao meio ambiente para articular o Plano Territorial de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais. A intenção é traçar estratégias para atuação das entidades no combate e prevenção às queimadas na Floresta Amazônica.

“Hoje nós tivemos uma reunião muito importante para montagem de um Plano Territorial de Prevenção a Incêndio e Queimadas focado mais na Flona e na Resex, mas também com extensões para o Planalto e para as áreas que estão com muito risco de incêndio para tentar formar novas brigadas, fazer campanhas educativas, organizar o sistema de comunicação […] O Saúde e Alegria conseguiu apoio externo, um recurso que não é muito grande, mas que dá pra comprar equipamentos pra montar umas três brigadas e a gente estava discutindo onde que isso pode ser feito” – disse o médico e fundador do PSA, Eugenio Scanavinno.

Incêndio em Alter do Chão em Setembro de 2019. Foto: Eugênio Scanavinno.

Durante o encontro que contou com a presença da Secretaria de Meio Ambiente, Vânia Portela e do Tenente do Corpo de Bombeiros Ferreira, do comando da Brigada de Alter do Chão, foi deliberada a realização de cursos de capacitação para novos brigadistas, oficinas de prevenção a incêndios florestais e apoio para compra de equipamentos para os combates. “A gente ainda tem muito trabalho pela frente, mas a ideia é fazer cursos para formação de brigadistas na Flona e na Resex […] Esse curso vai ser ministrado pelo 4ºGBM e vai beneficiar a Resex e o município para criar agentes ambientais que vão poder combater o fogo, dar melhor informação para os bombeiros quando o fogo existir, articular a vinda de pessoal e equipamento pra combater um possível incêndio e trabalhar em prevenção na comunidade” – conclui Govino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site! Rolar para cima