Educação, Cultura e Comunicação

O Programa de educação, cultura e comunicação tem por objetivo ampliar as oportunidades de aprendizagem para contextualizar a população em seu meio, universalizar seus saberes, fortalecer sua identidade cultural e possibilitar o acesso a novos conhecimentos e tecnologias, a fim de formar cidadãos confiantes e autônomos, capazes de gerir suas comunidades, defender seus territórios e seus direitos fundamentais.

Mais de 53% da população das comunidades ribeirinhas do oeste do Pará onde atuamos têm até 19 anos de idade. Por isso, e por acreditarmos que são eles os principais agentes de transformação presente e futuro das comunidades, é que o trabalho da organização sempre buscou desenvolver estratégias para sua inclusão social.

Embora ainda vivam num ambiente ecologicamente saudável, e numa convivência comunitária amigável, enfrentam, por outro lado, muitos problemas e desafios.

Dificuldades de acesso ao ensino médio, baixa qualidade do ensino nas escolas existentes, com currículo e métodos pouco apropriados a realidade sociocultural dos alunos. Falta de saneamento básico e carências alimentares provocando doenças evitáveis e famílias com baixa renda e muitos filhos, com poucas condições para o desenvolvimento pleno das crianças e adolescentes. Insatisfações com o cotidiano rural, baixa perspectiva de trabalho e renda, e poucas opções de lazer levando jovens ao êxodo rural.

Tendo suas origens em projetos de saúde infantojuvenil, o PSA ampliou suas abordagens para dimensões mais amplas buscando incluir e defender os direitos das crianças e jovens nos processos de desenvolvimento comunitário, de forma a garantir que ele seja sustentável no longo prazo.

Para tanto, atua tanto junto a serviços públicos (especialmente escolas) quanto diretamente com a população, com ações de cunho social (educação, saúde, lazer, cultura e comunicação), econômico (capacitação para o trabalho, empreendedorismo e liderança juvenil) e ambiental (educação ambiental, bom manejo dos recursos naturais).

Conheça as ações do PSA em educação, cultura e comunicação:

Territórios de Aprendizagem

O acesso à educação e a aproximação entre o ensino formal e a realidade das comunidades tradicionais da Amazônia são o foco das ações do projeto, aplicadas colaborativamente com gestores, professores, alunos e famílias. O Territórios da Aprendizagem aborda a educação comunitária e ambiental com base nos direitos da criança e do adolescente. Além de atividades extraclasse e qualificação de professores, fomenta as Escolas da Floresta a partir do mapeamento dos saberes e da cultura das comunidades feito pelos próprios alunos.

Circo Mocorongo

Um dos projetos mais antigos do PSA, o Circo Mocorongo promove educação em saúde, meio ambiente, cidadania comunitária e outros temas por meio da arte-educação. Com metodologias participativas, as atividades são construídas junto com a população e permeadas pela cultura popular local.

Teia Cabocla

Plataforma colaborativa de mobilização, formação e apoio aos coletivos juvenis nas comunidades do oeste paraense, o Teia Cabocla incentiva ações socioeducativas e culturais e campanhas de ativismo em defesa de direitos fundamentais, cobrindo temas como território, cidadania, questões de gênero, direitos da criança e do adolescente, educação ambiental, preservação da floresta e valorização da identidade cultural das comunidades (indígenas, quilombolas, ribeirinhas) da Amazônia.

Rede Mocoronga de Comunicação

A rede de comunicação popular, instituída em 1987 pelo PSA, capacita e apoia mais de 400 jovens, em mais de 30 comunidades do oeste do Pará, para atuarem como “repórteres da floresta”. Apoiadas por uma central na cidade de Santarém, Sucursais Rurais da rede produzem programas de rádio, jornais e vídeos comunitários, fotonovelas, histórias em quadrinhos, blogs e mídia digital.

Empreendedorismo Juvenil

Inovação e empreendedorismo para ajudar as comunidades a enfrentar o desafio do êxodo rural: estas são as bases da plataforma Beiradão de Oportunidade, na qual jovens das comunidades recebem formação para o trabalho e o empreendedorismo. Depois da formação inicial, ingressam em um curso mais aprofundado e um programa de mentoria. As soluções encontradas pelos alunos para problemas de suas comunidades são transformadas em planos de negócio, muitos dos quais são incubados pelo PSA e instituições parceiras.

Notícias

Educação e Comunicação
7323fd91-0965-4618-8a44-bd3322987cfc

Extrativistas participam de seminário: ‘Iniciativas e desenvolvimento dos óleos na floresta’

Promover iniciativas promissoras de extração do óleo na floresta, aproximar os povos tradicionais que sobrevivem da atividade sustentável de empresários e disseminar o conhecimento cientifico para os extrativistas são objetivos da oficina realizada na comunidade Carão, em Santarém As atividades …

Leia mais
4ec6feea-6699-45ef-9300-a514e50474e5-1

Jornada de formação para o ativismo juvenil reúne mais de 60 participantes na Floresta Ativa

Por três dias jovens integraram rodada de discussões sobre problemas e ações necessárias na defesa de direito das populações tradicionais da região. No segundo ciclo, moradores da Resex Tapajós Arapiuns, Flona, Planalto e PAE Lago Grande se encontraram na Floresta …

Leia mais
3 dias atrás
  • 503
  • 3
4 dias atrás
  • 88
  • 1
6 dias atrás
  • 114
  • 2
Conheça o canal do
saúde & alegria

Rádio Mocoronga

Facebook