Abaré inicia atividades 2020 sob a gestão da RIDH/Ufopa

Embarcação acaba de sair de processo de revitalização e segue para comunidades dos rios Arapiuns e Tapajós.

O Barco-Hospital Abaré I desatracará do porto da Ufopa, na Unidade Tapajós, na tarde desta segunda-feira, 16 de março, para as primeiras atividades de 2020. O barco estava com atendimento suspenso enquanto passava por diversas reformas. Agora o Abaré conta com melhor infraestrutura para atender às comunidades ribeirinhas. Antes de desatracar, haverá um momento solene para marcar a viagem inaugural e apresentar a nova gestão do Abaré, feita pela Rede Integrada de Desenvolvimento Humano (RIDH), sob direção da servidora da Ufopa e administradora Flávia Rebello.

A revitalização foi feita em parceria entre Ufopa, Projeto Saúde e Alegria (PSA) e Prefeitura Municipal de Santarém, que seguem como parceiros na prestação de serviços de saúde a centenas de famílias com dificuldades de acesso aos postos fixados nas zonas urbana e rural. Entre as melhorias estão consertos de equipamentos, pintura, troca de centrais de ar e dedetização.

O Abaré presta serviços há 14 anos e, naturalmente, precisa de manutenção periódica para garantir a segurança da navegação, dos tripulantes, dos profissionais que compõem a equipe de saúde e dos procedimentos realizados no espaço.

A viagem inicia-se dia 16 e encerra-se em 27 de março. Serão 12 dias de atendimentos. A comunidade de Vila Franca, no rio Arapiuns, será a primeira a receber a equipe do Abaré; a última será Samauma, no rio Tapajós.

Para o fundador do Projeto Saúde e Alegria, o médico Dr. Eugênio Scannavino, a “parceria entre Ufopa, Saúde e Alegria e Prefeitura de Santarém, tem sido muito positiva. Ano passado a gente conseguiu fazer o Abaré viajar, tanto para o Tapajós quanto para o Arapiuns, fizemos duas jornadas cirúrgicas, quando tivemos 400 cirurgias e mais de 7 mil atendimentos. A gente está muito animado de continuar. O Abaré está revitalizado; claro que nem tudo está pronto, ainda faltam detalhes (…); mas foi um esforço enorme de todas as instituições parceiras, para deixar o barco preparado para sair dia 16”.

Scannavino  lembrou sobre a existência de aproximadamente 68 embarcações como o Abaré, feitas pelo SUS, a partir do modelo do Abaré I, e assegurou que o barco que atende a regiões do município de Santarém é maior e pode oferecer serviços com melhor qualidade. “Com a parceria da Ufopa, ele é um barco de ensino, pesquisa e assistência. Podemos desenvolver pesquisa, trabalhos junto às comunidades. A luta é para colocar infraestruturas mais modernas ainda, tecnologia de ponta para fazer atendimento de primeira linha. Isso é o que a gente sonha e acredito que com essas parcerias vamos conseguir”.  

A diretora da RIDH, Flávia Rebello, falou do esforço para que a revitalização se concretizasse e o Abaré pudesse retomar os atendimentos. “Desde janeiro deste ano a RIDH vem trabalhando na gestão do Abaré, conseguindo revitalizar a embarcação para atender às demandas da Vigilância Sanitária e proporcionar melhores condições de navegação para as equipes que irão trabalhar junto a essas famílias. Além disso, nosso foco é um atendimento de qualidade às pessoas que precisam de assistência. Ainda temos o incremento nas ações de ensino, pesquisa e extensão da Universidade. Fazer o Abaré navegar com esses objetivos é nosso maior sonho, é nossa maior satisfação”.

Programação inaugural – Antes de o Abaré I desatracar do porto de Santarém, haverá uma solenidade de abertura das atividades de 2020, onde estarão presentes, entre outros, representantes do Conselho Municipal de Saúde, da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), da Secretaria Municipal de Saúde, da Prefeitura de Santarém, da Ufopa e do Projeto Saúde e Alegria.

Veja aqui o itinerário das primeiras viagens do Abaré I em 2020.

Serviço:

  • O que? Viagem inaugural Abaré 2020 sob gestão da RIDH
  • Quando? 16/3/2020
  • Hora? 17h
  • Onde? Estrutura do Abaré I, no porto da Ufopa/Unidade Tapajós

Albanira Coelho – Comunicação/Ufopa, com contribuição da Ascom do PSA

13/3/2020

Texto original pode ser acessado neste link no site da Ufopa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *