Alô por carta! Em tempos de WhatsApp, Programa Alô Comunidade recebe presente de ouvinte

Você lembra quando foi a última vez que recebeu uma carta? Em tempos de tecnologias digitais, receber informações escritas à mão tornou-se raridade. Programa Alô Comunidade foi agraciado com mensagem por Programa Alô Comunidade foi agraciado com mensagem de ouvinte da comunidade Vila Amazonas;

Com a popularização dos aplicativos de mensagens instantâneas, o uso das correspondências tem se tornado cada vez mais escasso. A redução do envio de cartas é atestada pelos Correios. Segundo a empresa, o volume de correspondências entre pessoas físicas diminuiu cerca de 70%. A maioria delas, atualmente, são boletos bancários, contas telefônicas e de energia elétrica e revistas.

Apesar disso, a cultura de enviar cartas ainda se mantém viva para uma minoria. Nesta semana, o Programa Alô Comunidade produzido pelo Projeto Saúde e Alegria e comandado pelo jornalista Raik Pereira foi surpreendido com o relato escrito de ouvinte da comunidade Vila Amazonas.

Duvilda Guimarães, moradora da comunidade fez questão de enviar um alô direcionado para amigos e para a equipe do programa. Na carta disse: “É com especial carinho que escrevo para o programa, para pedir que você mande um alô aos amigos: Renato, Natanael, Valdira, Leonara, Denilto, Edilso, Conceição, Jonas, Fátima e eu mando um alô pra você. E aqui desejo muita saúde, paz, amor, alegria pra você e sua família”.

A carta foi a primeira recebida dentre centenas de mensagens de texto e voz no WhatsApp, e SMS que chegam diariamente para os números do programa (93 99143-3944/99131-9195). Para o locutor, receber a carta foi um momento de nostalgia e alegria em poder disponibilizar um espaço democrático para as comunidades: “Além do ouvinte enviar mensagem para registrar audiência e mandar alô, ele também usa o programa para denunciar e questionar. O Alô Comunidade tem sido utilizado para que as lideranças passem recados e avisos para o seu povo sobre reuniões, assembleias, vacinação, etc. O sms ainda é bastante enviado por pessoas que não tem o aplicativo Whatsapp. Temos um fluxo bastante grande para um programa de 30 minutos que diferente dos demais é um programa que não toca música e que tem 90% das mensagens de moradores do interior” – ressaltou Raik.

Ferramenta de interação para moradores ribeirinhos e indígenas

Com apresentações às 14h00 de domingo à sexta nas Rádios Rural de Santarém e Princesa Fm, o Programa Alô Comunidade está completando sete meses de operação. Idealizado pelo Projeto Saúde e Alegria para ser um instrumento de suporte às comunidades no período da pandemia, o programa foi planejado inicialmente para apoiar a campanha #Com Saúde e Alegria Sem corona, para levar informações das atividades realizadas pelo PSA e seus parceiros.

“Nossa proposta é que o Alô Comunidade continue sendo essa voz popular, ampliando suas temáticas para além da pandemia. Estamos trabalhando numa reformulação, mantendo a linha editorial do diálogo direto com o ouvinte, mas sendo ainda mais abrangente, valorizando o vasto universo da vida como ela é nas comunidades da Amazônia”, explicou Fabio Pena.

A população ouviu e aderiu ao chamado de participar diariamente, enviando depoimentos, mandando alôs e denunciando situações delicadas, acrescentou o locutor do programa, Raik Pereira: “O programa foi pensado para ser exatamente isso. Das comunidades para as comunidades, e delas para o poder público para apresentarem suas demandas, reivindicações, angústias, anseios. É tão verdadeiro e natural que as comunidades assumem esse programa. As comunidades chamam esse programa de nosso programa”.

1 comentário em “Alô por carta! Em tempos de WhatsApp, Programa Alô Comunidade recebe presente de ouvinte”

  1. Boa noite a Equipe da ONG Saude e Alegria gostaria receber noticias dos projetos e também mostrar meu trabalho em educação em saude e mobilização popular em Parceria
    Com a Secretaria Municipa de Saude com a Secretaria Municipal de Educação na prevenção combate e controle de endemias chanadas arboviroses como Dengue, Zika, Chikungunya nas Escolas publicas da Rede Municipal do Municipio de Queinados Baixada Fluminense Estado Rio de Janeiro nos anos de 2017, 2018,2019, 2020 palestras tipo aulao brinquedos cantados, recreação educativa, videos, gincanas. Tenho fotos e gostaria de troca experiências e possivel projeto. Desdexreitero cotosxdexestima e apreço.
    Repeitosamente
    MarcosAntônio
    Contatos:
    21 993922856 zap
    21 973630142
    Email:mar_antonio20@yahoo.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria Rolar para cima