Christiane Torloni visita comunidades da Flona e Arapiuns

Após participação no Festival de Cinema de Alter do Chão, a atriz brasileira conheceu comunidades tradicionais da Amazônia.

Conhecida por uma carreira forte dedicada a interpretação de importantes papeis em novelas da Rede Globo, Christiane Torloni também é uma artista engajada com causas sociais, dentre elas a militância pela Amazônia, com ações de defesa à região como a coleta de assinaturas para um abaixo assinado para a preservação.

O movimento alcançou mais de um milhão de assinaturas e deu origem para o documentário “Amazônia, despertar da Florestania” exibido no Palco Tapajós no dia 26 de outubro durante o Festival de Alter do Chão. Em entrevista exclusiva à Rede Mocoronga a atriz e diretora do documentário contou sobre o nascimento da obra: “Foi quando nós começamos a fazer uma minissérie chamada Amazônia de Chico Mendes. Nós começamos a gravar em 2006 e foi lançada em 2007. Foi a primeira vez que eu vi terra arrasada no Acre. A partir daquele momento, eu, Victor Fasano e Juca de Oliveira Fizemos uma abaixo assinado que pedia a preservação da Amazônia e desmatamento zero e conseguimos mais de um milhão de assinaturas. A história do filme começa numa ação de defesa pela Amazônia. O filme nasce da arte do encontro” – relatou.

A entrevista foi concedida durante a viagem de Torloni ao Centro Experimental Floresta Ativa, na Resex em Santarém. Nas comunidades Maguari e Jamaraquá, ambas localizadas na Floresta Nacional do Tapajós, os comunitários participaram da exibição do documentário e de um bate papo sobre a Amazônia. Em Urucureá região da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, Torloni conheceu as produções artesanais da Cooperativa de Turismo e Artesanato da Floresta, conversou com os moradores das comunidades e realizou filmagens.

Amazônia, despertar da Florestania

Com duração de 1h46 o documentário foi lançado em maio em todo o Brasil e marcou a estreia da atriz como diretora. A obra destaca a preservação da Amazônia e apresenta o debate em relação às questões ambientais como as queimadas, demarcação das terras indígenas e os recursos naturais que são encontrados na floresta e nos rios da região.

A produção foi lançada durante o Festival de Cinema de Alter do Chão realizado no período de 21 a 27 de outubro de 2019. No último dia do evento que atraiu milhares de pessoas ao caribe brasileiro, a atriz entregou a premiação do Troféu Muiraquitã de Ouro ao vencedor do festival.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *