Lideranças comunitárias visitam o Saúde e Alegria para agradecer projetos de água, saneamento e saúde em Parauá, Retiro e Mangal na Resex

Coordenação do Programa de água e saneamento recebeu a comitiva dos moradores que viajaram mais de 68 quilômetros em seis horas de barco até a sede do Saúde e Alegria (PSA);

Moradores de Parauá, Mangal e Retiro foram recebidos pelo gestor do Programa de água e saneamento do PSA, Carlos Dombroski, que apresentou as dependências da instituição e agradeceu a presença das lideranças. “Dos 82 sistemas de água que nós já trabalhamos nas comunidades, Parauá, Retiro e Mangal são as três comunidades que estão voltando para agradecer os trabalhos das tecnologias de água. Traz uma alegria pra nós, é uma felicidade poder estar ajudando com água encanada nas suas casas” – disse.

As comunidades receberam o maior sistema de abastecimento de água construído pelo Projeto Saúde e Alegria com parceiros e apoiadores para 234 famílias, sendo 156 em Parauá, 50 em Mangal e 28 em Retiro. O sistema compreende abastecimento e captação de água da chuva na comunidade polo e adjacentes, beneficiando mais de mil moradores. “São investimentos, porque melhorar o acesso da água, das condições sanitárias acaba reduzindo as doenças de veiculação hídrica, principalmente a mortalidade infantil, onde a maior causa é justamente o consumo da água suja do Tapajós” – ressalta um dos coordenadores do PSA, Caetano Scannavino.

Sistema de água e saneamento em Mangal na Resex.

A entrega oficial foi realizada em 17 de setembro e contou com a presença de representantes do Projeto Saúde e Alegria, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Conselho Indígena Tapajós Arapiuns (CITA), Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém (STTR), Organização Tapajoara, Conselho Indígena Tupinambá – CITUPY, Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca (Semap) e Ministério da Cidadania. Para os moradores, o momento não foi suficiente para agradecer e decidiram vir pessoalmente à sede do PSA: “Foi muito importante para todos os moradores dos bairros de Parauá.Nós somos muito gratos ao PSA e precisávamos vir aqui pra demonstrar que nós estamos muito felizes com esses projetos que foram pra nossa comunidade. Precisamos vir de lá da nossa comunidade para agradecer”- disse a presidente da Associação de Parauá, Silmara Vasconcelos.

Moradores guardam registros do início das obras, quando todos participaram em processos coletivos de organização comunitária. Arquivo Cíntia Maria.

Parauá também recebeu outros projetos, como o de energia solar na Unidade Básica de Saúde para o armazenamento de vacinas e é polo no projeto de telemedicina, com realização de consultas médicas por videoconferência. O Agente Comunitário de Saúde, Manoel Olavo, relatou como a vida na comunidade melhorou:

“Todos os projetos de fato vieram de encontro a vontade da comunidade. tanto o sistema de água que é moderno, as pessoas recebem água de qualidade, tratada, apropriada para o consumo humano. Nós temos uma sala de vacina funcionando na nossa comunidade, por conta da parceria com o Saúde e Alegria com sistema de energia solar. Nós queremos fortalecer essa parceria pra agradecer mais uma vez e com certeza isso irá fortalecer muito mais a nossa relação”.

Sistema de energia solar garante fornecimento para acondicionamento de vacinas no posto de saúde.

O programa se alinha à estratégia de desenvolvimento territorial do PSA que busca ampliar o acesso à água, saneamento, saúde e energia, destaca o coordenador de programas econômicos e sociais do PSA, Davide Pompermaier: “A gente entende que o desenvolvimento do território se faz com um conjunto de ações conectadas. Todas voltadas a melhorar a qualidade de vida das populações locais. Não dá pra pensar que as famílias vivam nas florestas só com a mensagem de amor pela natureza. Tem que ter desenvolvimento econômico, qualidade de vida, infraestrutura e serviço para de fato melhorar e criar condições de vida e desenvolvimento feliz para as populações locais. Nós tentamos estruturar sistemas adequados ao contexto local, sistemas autônomos que possam ser geridos pela própria comunidade”.

União das lideranças é marca dos processos comunitários participativos. Foto em Mangal.

As comunidades foram beneficiadas com o Programa Cisterna do Ministério da Cidadania, coordenado na região pelo Projeto Saúde e Alegria e executado pela Somechdh. As obras são fruto do apoio do Governo Federal/Ministério da Cidadania, Fundação Avina/Instituto Coca cola, BNDES/Fundo Amazônia e MOTT Foundation.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria
Rolar para cima