Saúde e Alegria doa kits de higiene e alimentação para famílias atendidas pelo CRAS Santarém

Duzentas famílias em vulnerabilidade social serão beneficiadas com cestas básicas e itens de proteção contra a covid-19;

Moradores dos bairros Uruará, Pérola do Maicá, Juá, Área Verde, Floresta, Caranazal, Mapiri e Liberdade cadastrados nos Centros de Referência em Assistência Social (Cras), serão contactados para buscar as cestas, conforme seleção das unidades.

“Os Cras já têm o público alvo que são as famílias em situação de vulnerabilidade social, prejudicadas mais ainda durante esta pandemia. As entregas são feitas diretamente às famílias seguindo protocolos de segurança e evitando aglomerações”, explica Celsa Brito, titular da Semtras.

A ação emergencial ampara famílias em situação de extrema necessidade e que estão impossibilitadas de trabalhar em decorrência do lockdown. Santarém integra os municípios com zoneamento preto, com alto índice de transmissão da covid-19, falta de leitos, número crescente de pacientes à espera de UTIs, e o aumento do número de mortes por covid-19 (556 óbitos em Santarém até 10/02).

Diante desse cenário, o Projeto Saúde e Alegria que desde o início de 2020 direcionou seu trabalho no combate ao vírus, está mobilizando esforços da campanha #ComSaudeeAlegriaSemCorona para apoiar o poder público e as famílias rurais/indígenas e urbanas em vulnerabilidade.

Na parceria com o Centro de Referência de Assistência Social, foram entregues duzentos kits de higiene e proteção familiar e duzentas cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade identificadas pela Semtras: “famílias que já fazem parte dos nossos serviços de acompanhamento através do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família. Seguindo o protocolo e segurança, a gente liga para as famílias para que elas venham buscar as cestas” – esclareceu a coordenadora do CRAS Ribeirinho, Aline Lobato.

As medidas de apoio ao sistema público e de suporte direto às comunidades são fruto de inúmeras parcerias para tentar minimizar os impactos da pandemia na região, ressaltou o médico e fundador do PSA, Eugênio Scannavino. “Juntando o máximo de esforços possível para tentar ajudar. A gente está junto com as autoridades públicas, parceiros, sindicatos, organizações indígenas, ONGs de saúde. Essa situação não vai acabar tão cedo. Só quando todo mundo for vacinado e isso vai demorar acontecer. E só depois de dez dias da segunda dose da vacina. O vírus estará correndo ainda” – alerta.

“Agradecer às instituições que têm nos ajudado na distribuição, na doação. É importante as empresas e instituições terem esse olhar de comoção e apoio junto com o município” – lembrou a titular da Semtras, Celsa Brito.

Fotos: Walter Oliveira/PSA.

#ComSaudeeAlegriaSemCorona 1ª fase em números

Nas medidas de apoio ao sistema público, a campanha distribuiu 75.400 máscaras cirúrgicas, 10.115 máscaras face shield, 342 equipamentos de apoio à respiração, 2.000 testes de covid-19, 50 kits de medicamentos e insumos de saúde. Nas medidas de suporte direto às comunidades, foram entregues 18.528 kits familiares de higiene e proteção, 5.443 kits familiares de ajuda alimentar, 1.000 kits de apoio aos mundurukus, concluídos 5 meses de campanhas educativas, 4 rodadas de atendimento do barco-hospital Abaré realizadas com apoio do PSA; e 18.000 cartilhas e cartazes educativos entregues, beneficiando diretamente 52.000 pessoas.

Saiba mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria Rolar para cima