Simpósio Energia & Comunidades discute soluções energéticas para comunidades da Amazônia

No período de 25 a 28 de março o Estado do Amazonas sedia um importante encontro sobre o mercado de produtos e serviços voltados para a geração de energia alternativa, solar, eólica e de biomassa de pequena escala, off grid etc, em sistemas isolados e remotos;

O Simpósio possibilita o debate sobre a necessidade de energia aos povos das regiões amazônica e poderá ampliar a possibilidade da revisão das políticas públicas e definições de prioridades. Para o coordenador do Projeto Saúde e Alegria, Caetano Scannavino, “traz para o centro do debate a exclusão energética dos povos da floresta. E a soma de esforços em busca de soluções, complementada também pela Feira”.

Durante o encontro o PSA apresentou as experiências de eletrificação rural do Projeto, com a participação de lideranças juvenis que destacaram suas experiências nas próprias comunidades os desafios para fazer a luz chegar nas aldeias.

Ciro Campos do Instituto Socioambiental reforçou a necessidade de construir coletivamente formas de promover a mudança nas politicas públicas para garantir o acesso às populações da floresta: “Acabar com a exclusão energética na Amazônia deveria ser um imperativo ético para a sociedade, importante para fortalecer a economia das comunidades e para alcançar um futuro com justiça social e desenvolvimento sustentável”.

Feira/Simpósio ENERGIA & COMUNIDADES*

O evento promove um importante encontro: o de uma clientela crescente com o mercado de produtos e serviços voltados para a geração de energia alternativa, solar, eólica e de biomassa de pequena escala, off grid etc, em sistemas isolados e remotos. Também influenciará a revisão das políticas e a definição de prioridades.

Na Amazônia, milhares de povoados e comunidades indígenas, ribeirinhas e tradicionais, em especial em regiões remotas e não atendidas pelo Sistema Interligado Nacional (SIN), querem substituir a geração de energia à diesel, que promove grandes emissões de gases de efeito estufa e é cara, causando impacto no orçamento familiar. O governo brasileiro estima que mais de um milhão de pessoas ainda não têm acesso a eletricidade.

O mercado é promissor e o contexto convidativo. As novas fontes de financiamento e o aumento da renda nessas localidades criam novas oportunidades para a expansão das energias alternativas e modelos de negócios a elas associadas. Elas fortalecem a autonomia das comunidades, geram renda, favorecem a qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável.

Leia mais em https://www.energiaecomunidades.com.br/*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria Rolar para cima