Projeto implanta horta orgânica na Floresta e serve de modelo para comunitários

No período de 14 a 17 de maio, técnicos do Projeto Saúde e Alegria estão disseminando conhecimentos teóricos e práticos sobre implantação de horta orgânica para consumo e comercialização. O cultivo de legumes e hortaliças está sendo feito no Centro Experimental Floresta Ativa;

Instalar uma horta é um trabalho delicado que requer cuidados e atenção para evitar pragas e promover o desenvolvimento da plantação sem o uso de agrotóxico. Antes de iniciar o plantio o produtor precisa considerar: “o solo se for no chão, profundidade se for suspensa, tipo de hortaliça, madeira usada na construção…” – explicou a Arte educadora do PSA Elis Lucien.

A instalação da horta no Cefa atende a premissa da sustentabilidade e pretende possibilitar aos moradores da comunidade a prática para melhorar o cultivo das hortas e legumes para consumo e comercialização, melhorando assim a renda comunitária. “O objetivo é a revitalização da atual horta, implementando uma unidade demonstrativa de horta orgânica visando a capacitação de famílias agroextrativistas e estudantes das escolas da Resex Tapajós-Arapiuns, localizadas no entono do CEFA, bem como servir como instrumento para o estágio supervisionado e intercâmbio com estudantes do nível médio e universitário” – explicou o coordenador do Programa Floresta Ativa, Paulo Bonassa

Nesta primeira etapa, serão plantadas mudas de alface, rúcula, couve e cebolinha. Na segunda, espécies como coentro, tomate, pimentão, chicória, beterraba e cenoura. O cultivo será orgânico, isso significa que a horta será cultivada sem a utilização de fertilizantes e defensivos industrializados. A engenheira florestal do PSA, Mara Gisele destacou a importância da participação dos comunitários: “Pra gente foi muito bom poder repassar a parte técnica pra eles, porque embora eles já saibam como lidar com horticultura e canteiro em suas casas, muitas vezes precisam de orientação técnica que não tem nas suas comunidades”

O início da revitalização conta com a participação de jovens do Curso Empreendedorismo do Beiradão de Oportunidades e alunos do Curso de Técnico em Agropecuária da Escola Comunitária Casa Familiar Rural de Santarém que iniciam as atividades de estágio supervisionado.

Segundo o jovem Sebastião Pereira, morador de Urucureá, o conhecimento será replicado: “Foi uma experiência que eu vou levar pra toda minha vida. Foi muito proveitoso”. O projeto é desenvolvido pelo Programa Floresta Ativa Tapajós com parceria do BNDES Fundo Amazônia, KAS e Fundação Cáritas.

Fotos: Elis Lucien/PSA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria Rolar para cima