Técnicos realizam monitoramento de atividades de Meliponicultura e Sintropia na Resex

Equipes do Saúde e Alegria realizaram simultaneamente visitas técnicas à região da Reserva Extrativista Tapajós Arapiuns para avaliar o desenvolvimento das atividades de produção de mel e recuperação florestal com metodologia da sintropia;

O Centro Experimental Floresta Ativa é referência na aplicação de técnicas inovadoras, sustentáveis e que propõem a recuperação de áreas degradadas através de reflorestamento e criação de abelhas para colonizar as florestas. Manter o acompanhamento contínuo é uma meta dos técnicos que realizam o trabalho na região e que precisam monitorar a qualidade das atividades desenvolvidas.

No último dia 10, duas equipes fizeram levantamento das ações no centro. Segundo o responsável pelo trabalho de Meliponicultura, Alexandre Godinho, atualmente o Cefa possui 153 caixas de abelha. O modelo é inspiração para as comunidades atendidas pelo projeto de incentivo à produção de mel com abelhas nativas. Na ocasião foram planejadas ações de limpeza, manejo na área e reuniões com a gestão do Centro e comunitários para tratar dos projetos de incubação e produção de novas caixas para colmeias.

Na visita técnica do Plantio Sintrópico na área de preservação permanente do igarapé da comunidade do Carão os técnicos vistoriaram práticas de plantios e constataram desenvolvimento das plantas, baixíssima mortalidade das mudas, alto índice de germinação das sementes, exclusão de pragas, doenças e ausência de deficiência nutricional. O Educador Agroflorestal Valdemar Paz explicou que a “Na visita foram constatadas mais de 40 espécies, dentre, madeireiras, frutíferas, anuais, leguminosas e produtoras de biomassa e de serviço. A oficina anterior, inseriu informações quanto a implantação de roçados sem uso do fogo, com mudas e plantios diretos por sementes, aproveitando folhas, galhos, casca de mandioca, cinza de forno, cobertura do solo e manejo adequado das espécies, com o objetivo de uma produção econômica e o melhoramentos das condições de fertilidade do solo ao longo do tempo”.

O Educador reforçou que o sistema Sintrópico é uma boa estratégia para a implantação de Sistemas Agroflorestais, que não dispõem de irrigação e usam agrotóxicos, pois, as espécies unidas, se ajudam, reduzindo as perdas de água e ataques de enfermidades nas culturas, diferente do modelo convencional. O objetivo principal do enriquecimento da nascente do igarapé, é a manutenção da água que a comunidade utiliza.

Plantio e espécies

Foram geminadas sementes de: Caju, Ipê, Acerola, Bacaba, Jatobá, Gergelim, Quiabo, Mamão, Tento, Açai, Manga, 2 tipos de Tento, 2 tipos de Taxi, Mata pasto, Leucena, feijão de porco, milho, melancia, macaxeira e mandioca.

Mudas plantadas: 15 Ipê, 30 Bananeiras, 10 Ata, 10 Laranja, 50 Buriti, 20 Açai BRS, 30 Urucum, 30 Andiroba, 15 Mogno, 10 Paricá, 15 Mamão, 15 Mata pasto, 30 Ata, 30 Jenipapo, 30 Tapiririca, 30 Ingá, 30 abacaba, 30 Cupuaçu e 25 Açai nativo.

1 comentário em “Técnicos realizam monitoramento de atividades de Meliponicultura e Sintropia na Resex”

  1. Francisco Marinho Filho

    Boa Vista do Ramos/Am, 06 de abril de 2021

    Francisco Marinho Filho
    Engenheiro e Técnico Agrícola Florestal
    Técnico Agrícola em Agropecuária

    Prezados, é com satisfação que venho por esse meio parabeniza-los pelo pelo trabalho que vem desenvolvendo na área de preservação permanente do igarapé da comunidade do Carão, sem duvidas é um trabalho fantástico que além de preservar o meio ambiente, gerar renda econômica e o desenvolvimento rural sustentável, contribuir para o fortalecimento da produção e a criação de abelhas com o aumento do número de colméias e a produção de mel e venda o excedente das populações envolvidas no projeto.
    Como já apresentado no inicio, sou Francisco Marinho Filho (Eng. e Técnico Agrícola Florestal/ Técnico Agrícola em Agropecuária), apaixonado pelas nossas abelhas. No município de Boa Vista do Ramos, estado do Amazonas, junto ao Instituto Iraquara implantamos 1 a Associação de criadores de abelhas nativas e em seguida a Cooperativa dos produtores de mel – COOPMEL, hoje com mais de 165 famílias associadas. Ao longo desses anos venho me aprofundando na criação de nossas abelhas nativas,. onde desenvolvo a criação em um sitio da família na localidade. Imaginem vcs quando vejo um trabalho ou tenho conhecimento de um trabalho lindo como o de vcs. Fico a imaginar o quanto podemos contribuir com a criação de abelhas na geração de renda e preservação do meio ambiente em que esse pequenino insetos vivem.
    Parabéns pelo trabalho.
    Me disponho para eventuais parceria com a instituição.
    Ass: Francisco Marinho Filho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria Rolar para cima