Termo de Cooperação Técnica é assinado para construção de Ecocentro em Santarém

Parceria entre Projeto Saúde e Alegria – PSA, Cooperativa dos Trabalhadores Agroextativistas do Oeste do Pará – ACOSPER e Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém – STTR foi oficializada nesta segunda-feira (30);

Mais um passo rumo à implantação do Ecocentro que comercializará produtos da sociobiodiversidade regional em Santarém foi dado. Uma reunião realizada na manhã desta segunda-feira (30) STTR, ACOSPER e PSA formalizou a parceria para instalação do Ecocentro do Programa Floresta Ativa Tapajós. Na ocasião, cada entidade se comprometeu com suas respectivas responsabilidades no processo de instalação do Ecocentro.

“É um acordo que tem esse valor importante do ponto de vista da organização do nosso projeto em função da agricultura familiar e do extrativismo na nossa região” – destacou o presidente STTR, Manoel Edvaldo.

O espaço será construído em Santarém para fortalecer as cadeias produtivas que estão sendo apoiadas nas comunidades dos municípios de Mojuí dos Campos (PA Moju I e II); Belterra na Floresta Nacional do Tapajós e em Santarém Reserva Extrativista Tapajós e Arapiuns, Projetos Agroextrativistas (Lago Grande, Eixo Forte, Urucurituba, Aritapera, Tapará e Ituqui) e do PEAEX Projeto de Assentamento Estadual Agroextrativista (Aruã, Vista Alegre e Mariazinha) além de municípios da calha norte do Amazonas.

Primeira reunião sobre Ecocentro na sede do PSA.

O pólo será referência para o armazenamento, beneficiamento e escoamento da produção de produtos da chamada sociobiodiversidade: relação entre a diversidade biológica, os sistemas agrícolas tradicionais (agrobiodiversidade) e o bom manejo destes recursos junto com o conhecimento e cultura das populações tradicionais e agricultores familiares.

“Tecnologia de ponta na ponta para extração de óleos vegetais, essenciais, câmera fria de pirarucu manejado, feira de produtos orgânicos, casa do mel, estoque comercial de sementes, beneficiamento da castanha. A ideia é que seja um centro de processamento de produtos, de agregação de valor, articulado com as demais cooperativas, associações de produtores, representações de territórios, flona Tapajós, Resex Tapajós Arapiuns, Calha Norte, Quilombolas, Assentamentos, PAE Lago Grande” – ressaltou o coordenador do PSA, Caetano Scannavino.

Produção agroextrativista. Arquivo PSA.

O Ecocentro será instalado nas dependências da ACOSPER e deve começar a operar a partir do primeiro semestre de 2021. A intenção é que o espaço represente uma oportunidade de comercialização para o produtor rural da região. “No espaço haverá venda de polpa de fruta, pescado, galinha caipira, mel, frutas e sementes. Para uma etapa posterior à inauguração do ecocentro, serão instalados: entreposto de processamento de mel, usina de extração de óleos vegetais e usina de processamento de castanha de caju. As tecnologias funcionarão a partir do uso de energia solar” – esclareceu o coordenador de Programas Econômicos Ambientais do PSA, Davide Pompermaier.

“Movendo a economia com inclusão social, distribuição de renda e principalmente com a floresta em pé. O Floresta Ativa dá um passo à frente no sentido de aumentar sua escala” – finalizou Scannavino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria Rolar para cima