Projeto Amazônia 4.0 apresenta ‘Laboratórios Criativos da Amazônia’ em Santarém

Evento realizado em 12 de julho no auditório do STTR, contará com a presença de Ismael Nobre, Diretor Científico do Projeto;

O esgotamento de recursos naturais é um tema que tem preocupado pesquisadores de todo mundo. Em decorrência do desenvolvimento baseado na exploração intensiva do meio ambiente, principalmente por meio da agricultura, energia e mineração, grandes extensões de florestas têm sucumbido. Por isso é mais urgente do que nunca encontrar formas alternativas e eficazes de conservar, sustentar e desenvolver a Amazônia.

O Projeto Amazônia 4.0 estará apresentando em Santarém os Laboratórios Criativos da Amazônia, que objetivam a valorização da floresta e seus povos por meio do uso de tecnologias altamente avançadas para beneficiar cadeias produtivas da Amazônia. Por meio dos labs, será possível agregar valor às comunidades, aumentar sua renda, conservar a floresta e demonstrar o potencial da floresta.

Ismael Nobre, Diretor Científico do Projeto, explicará a dinâmica do projeto aos moradores de áreas da floresta em um evento na sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém.

Uma das propostas do projeto é implementar uma fábrica móvel de demonstração completa onde entra matéria prima (Cacau ou Cupuaçu) e sai Chocolate embalado para o consumidor para demonstração e capacitação nas comunidades Amazônicas. Os processos de fabricação do chocolate são pensados para usar tecnologias e serão parte da capacitação oferecidas às comunidades.

No beneficiamento com alta tecnologia, extrativistas poderão usar os recursos com facilidade de uso, unindo conhecimentos, trocando experiência e experimentando novas oportunidades de mercado sustentável.

Laboratórios Criativos da Amazônia

Por meio dos laboratórios as comunidades serão capazes de produzir chocolates de forma fácil com ajuda das novas tecnologias e aumentar a renda das famílias, qualidade de vida e proteger a Floresta. O laboratório de cacau e cupuaçu realizará quatro experiências piloto no Pará. Poderão participar todas as pessoas das comunidades escolhidas que tenham interesse. O projeto começa a operar a partir de fevereiro de 2022. Após o processo de capacitação, as comunidades terão  apoio durante um ano para criação de negócios e as pessoas terão acesso a uma Escola de negócios da Amazônia online para criação de negócios.

O PSA está apoiando a iniciativa e ajudando na logística da visita. Nesta fase, tem dado suporte a equipe do projeto no conhecimento do território nos municípios de Santarém e Belterra, consultas e identificação de parceiros locais.

Indústria 4.0 para salvar a floresta com tecnologia de ponta

O biólogo doutor em Dimensões Humanas dos Recursos Naturais pela Universidade Estadual do Colorado, nos Estados Unidos Ismael Nobre, corresponsável pelo Projeto Amazônia 4.0, ao lado de seu irmão, o climatologista Carlos Nobre, defende que o caminho para melhorar a vida, não somente das populações indígenas mas também das demais comunidades que vivem na região, é a união da “economia da biodiversidade com as possibilidades criadas pela revolução digital e a Indústria 4.0”.

“Produzir bens de consumo com valor agregado no interior da Amazônia exige quebrar paradigmas”, diz Ismael Nobre.

Serviço para imprensa

Quando? Segunda-feira (12/07) às 14h30

Onde? Sede do STTR, rod. Santarém Cuiabá

Quem?

  • Ismael Nobre, Diretor Científico do Projeto.
  • Davide Pompermaier – coordenador de Programas Econômicos Ambientais do PSA
  • Representante do STTR
  • Extrativistas

Para agendamentos e mais informações: (93) 99106-9770

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria Rolar para cima