Relatório de reflorestamento do Saúde e Alegria na Amazônia;

O Saúde e Alegria apresenta abaixo, relatório da produção, distribuição e plantio de mudas para o reflorestamento na região amazônica.

Instituição civil sem fins lucrativos, o PSA atua em comunidades tradicionais da Amazônia desenvolvendo programas integrados na área de organização social, saúde, saneamento básico, direitos humanos, meio ambiente, geração de renda, educação, cultura e inclusão digital, visando melhorar a qualidade de vida e o exercício da cidadania. A Arte, o Lúdico e a Comunicação são os principais instrumentos de educação e mobilização social.

O Projeto Floresta Ativa Tapajós, com apoio do Fundo Amazônia, tem por objetivo promover na região do Tapajós o manejo sustentável da floresta,  fortalecendo cadeias produtivas e empreendimentos agroecológicos voltados para conservação ambiental, reposição e restauração florestal, que reduzam o desmatamento e as emissões de CO2, validando junto às esferas públicas tecnologias socioambientais passiveis de replicação, como referencias para orientar politicas e estratégias para Amazônia proporcionando aos agroextrativistas inclusão social, qualidade de vida e renda.

Um dos principais componentes do Floresta Ativa é o Centro Experimental Floresta Ativa – CEFA. O pólo é referência para a capacitação e o desenvolvimento de projetos e tecnologias socioambientais replicáveis para toda a floresta. Construído dentro da Resex, na comunidade de Carão, próxima da confluência entre os rios Tapajós e Arapiuns, possui um conjunto de instalações baseadas nos princípios da permacultura e da agroecologia num único sistema integrado de campo.

A partir do CEFA, o projeto estruturou uma rede de viveiros comunitários para a produção de mudas de espécies frutíferas e florestais que são distribuídas junto às famílias interessadas em práticas de agricultura sustentável

A seguir é possível analisar os dados de produção, distribuição e plantio das mudas produzidas no Cefa nos últimos quatro anos.

 2016

Totalizamos 27.464 mudas no ano, de pelo menos 19 tipos de diferentes espécies de plantas frutíferas e florestais, que foram entregues aos produtores cadastrados no Programa Floresta Ativa.

As mudas produzidas e entregues foram: açaí, acariquara, andiroba, cacau, caju, castanha do Pará, cedro, côco, copaíba, cumarú, freijó, ipé amarelo, itaúba, jacarandá, jucá, maracujá, mogno, piquiá e pupunha. Dessas, as que mais tiveram pedido foram o açaí, cacau, Cumarú, mogno e a pupunha.

 2017

 A entrega de mudas para reposição florestal junto aos agricultores foi realizada em 32 comunidades da Reserva Extrativista Tapajós e Arapiuns, sendo 18.856 mil mudas e 1.605 usadas para reflorestamento do entrono do CEFA, totalizando mais de 20 mil mudas entregues de 21 espécies florestais e frutíferas.

 2018

 Objetivando permitir aos comunitários o reflorestamento e recuperação das áreas e suprimir o uso do sistema de monocultura, enriquecimento de quintais e roçados por meios de iniciativas agroflorestais e alternativas de renda, foi realizada no período de 10 a 24 de fevereiro 2018 a distribuição de mudas de plantas na Reserva Extrativista (RESEX) Tapajós Arapiuns e Projetos de Assentamento Agroextrativistas (PAE) Lago Grande.

A distribuição de mudas foi realizada na região do Baixo, Médio e Alto e Tapajós, Arapiuns e PAE Lago Grande. Além de receberem mudas, os comunitários recebem orientações quanto aos procedimentos e tratos culturais. Resumidamente, foram distribuídas 12.574 mudas, de 10 espécies, para 282 comunitários em 33 comunidades. Além disso, foram doadas 7.000 mil mudas à Prefeitura Municipal de Santarém para arborização da cidade.

2019

Visando contribuir com os comunitários, na recuperação de áreas abandonadas, oriundas da implantação de roçado, que tiveram como técnica o corte e queima, foram entregues aos comunitários da RESEX Tapajós/Arapiuns, em 2019, o total de 5.809 mudas de espécies florestais e frutíferas para reflorestamento e recuperação de tais áreas, bem como, para o enriquecimento de quintais, garantindo assim a soberania alimentar dos moradores e suprimindo de forma sistemática a  monocultura dentro da unidade de conservação.

A atividade ocorreu no período de 17 a 24 de fevereiro de 2019. Na região do Tapajós, atendeu as comunidades de: Pajurá, Vila do Amorim, Mangal, Parauá, Uquena, Suruacá, Carão, Anumã Maripá e Vila Franca. Na região do Arapiuns, as mudas foram entregues nas comunidades de: Anã, São Miguel, Tucumã, Arapiranga, Atodi, Zaire, Aminã e São José I.

Foram beneficiadas 20 comunidades e 103 famílias, distribuídas 3.303 florestais e 1.955 frutíferas. Nesta ação, merece destaque a contribuição de um grupo de 12 voluntários da Iris Social, oriundos de diversos estados brasileiros e, da equipe do PSA. Os tipos de espécies distribuídas encontram-se listadas na tabela abaixo:

Produção de Mudas 2019 para entrega em 2020

A produção e distribuição de mudas para os comunitários é essencial para que o programa de reposição florestal como roçados sem fogo, sistemas agroflorestais, quintais produtivos e recuperação de áreas degradadas. Neste sentido, o Projeto Saúde e Alegria não poupa esforços, para que a coleta, o beneficiamento e plantio, possam suprir essas necessidades e assim, contribuir para que cada vez mais a reposição florestal possa ocorrer de forma concreta nos territórios trabalhados pelo PSA. Durante o primeiro semestre, foram produzidas 28 espécies, num total de 33.180 mudas, que no início do inverno serão distribuídas para os fins acima citados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto Saúde & Alegria Rolar para cima